Translate

Anjo da Noite 5 - A Vingança - Capitulo 5

Capítulo 5 – A Estranha

Eu acordei cedo pra poder fazer minha corrida matinal... Dessa vez Ryan não quis ir comigo, ficou em casa se agarrando com a MINHA irmã. Cara, isso é nojento. Meu pai estava ocupado preocupado com minha mãe... Então resolvi que ia sozinho mesmo. Correr sem companhia não era a mesma coisa... Não ter ninguém com quem falar. Então resolvi aproveitar e caçar, não que eu precisasse, mais era divertido.
Depois de alguns minutos eu podia sentir novamente aquela sensação incomoda de que tinha alguém me olhando, era tão desagradável. Mais eu não via ninguém... Então deixei passar até ouvir um barulho nas árvores.

_Quem ta ai?_ perguntei, minha voz era só um sussurro.

Ninguém respondeu... Mais então alguém saiu do meio das árvores. Era ela... A vampira que eu vira no banco, me observando silenciosamente. Ela era loira, tinha os cabelos compridos e levemente ondulados... Um rosto lindo, como o de um anjo. E os olhos vermelhos... Vermelhos como sangue.

_Quem é você? Porque esta me seguindo?_ questionei antes que ela desaparecesse.
_Quem disse que estou seguindo você?_ sua voz era suave e encantadora.
_Não sou idiota_ eu disse_ te vi no banco, e na floresta várias vezes.
_Só porque eu estava lá não quer dizer que eu estava seguindo você_ disse sorridente.
_Quem é você?_ voltei a perguntar.

Ela me encarou por um longo tempo sorrindo... Um sorriso tremendamente encantador. Eu tentei entrar na mente dela, descobrir alguma coisa, mais era como se algo me bloqueasse e fiquei frustrado... Ela parecia saber disso, se divertir com alguma coisa, uma piada particular talvez.
Seu silencio já estava começando a me incomodar e eu pretendia perguntar novamente, mais ai ela falou.
_Eu sou nova aqui na cidade_ ela disse_ vim resolver... Um assunto pendente.
_Que tipo de assunto?_ perguntei curioso.
_Acho que isso não é da sua conta não é?
_Acho que não_ concordei_ mais ainda não me disse seu nome.
_Você também não me disse o seu_ ela se escorou casualmente em uma árvore.
_Meu nome é Dean_ eu disse.
_Dean_ ela repetiu sorrindo_ nome legal.
_Não vai me dizer o seu?
_Meu nome não importa_ ela disse agora séria.

Eu fiquei um pouco irritado com isso... Eu queria saber quem era ela, de onde veio... O que queria aqui.

_Você é diferente_ ela comentou de repente.
_Você é a primeira que me diz isso_ sorri.
_Você não é vampiro... Não é lobisomem... Não é humano_ ela me analisou.
_Digamos que sou uma mistura dos três_ dei de ombros.
_Claro_ ela ficou séria de novo_ o filho do lobisomem com a vampira... Seus pais são famosos no nosso mundo.
_Eu sabia que era algo assim.
_Conseguiram fazer o impossível... Duas vezes_ ela sorriu de novo_ é preciso muita coragem.
_É, esses seus meus pais... Fazendo o impossível_ eu sorri.

Eu tinha orgulho de ser filho deles... Tinha orgulho de ser filho de Joe Jonas e Demi Lovato. Orgulho de ser diferente. Eles enfrentaram tanto pra ficar juntos, pra que eu e minha irmã pudéssemos viver. Eles eram um exemplo.

_Você parece ter orgulho deles_ ela comentou.
_Eu tenho_ afirmei.

Ela não pareceu gostar dessa afirmação... Estava séria.

_Bom_ ela disse de repente_ foi um prazer conhecer você mestiço... Agente se ve por ai.
_Não vai mesmo me contar seu nome?
_Não_ ela disse sorrindo.

E então sumiu no meio das árvores do mesmo jeito que apareceu... Como um fantasma. E eu fiquei parado ali como um idiota.  
Demi Narrando

Depois de uns minutos sozinha no quarto encarando as paredes, eu me levantei e fui tomar um banho quente... Aquilo me ajudou a relaxar e quando acabei meu banho estava tranqüila... A dor na minha garganta era quase imperceptível e meu controle tinha voltado, pelo menos eu achava que sim.
Sai do banheiro enrolada na toalha e voltei ao quarto... Joe estava parado em frente a cama, de costas pra mim, parecia distraído com alguma coisa.

_Tudo bem amor?_ perguntei abrindo a porta do meu guarda roupa.
_Tudo sim_ ele respondeu sem se virar_ e você como esta?
_Bem melhor_ garanti.

Era verdade... Eu sentia o cheiro dele agora e não estava me incomodando como antes, eu estava de volta ao meu normal. Sorri satisfeita enquanto pegava uma calcinha, vestia e largava a toalha de lado.
Enquanto procurava a parte de cima da lingerie percebi que tinha algo errado... O Joe continuava de costas e estava um clima estranho no ar.

_Amor ta tudo bem?_ me virei pra olhá-lo.
_Porque não estaria?_ questionou meio distante.

Eu não precisava entrar na mente dele pra saber que tinha sim algo errado... Eu podia sentir. Me aproximei, e fui pra frente dele, foi ai que percebi o que tanto o distraia... Ele estava olhando o pulso de seu braço direito... Estava sangrando, cortado... Marcas de unhas.

_O que foi que aconteceu?_ perguntei espantada, segurando o braço dele.
_Não foi nada_ ele puxou o braço da minha mão, me olhando desconfiado.
_Quem fez isso?_ perguntei irritada, estava tão zangada, confusa e preocupada ao mesmo tempo que nem me liguei que seu sangue estava escorrendo bem na minha frente... Interessante pra mim que tinha surtado algumas horas atrás.
_Ninguém_ disse grosseiramente.

Meus olhos foram novamente até seu pulso... Vi sua outra mão, as unhas marcadas com o sangue... Ele fizera aquilo nele mesmo? Meus olhos se arregalaram. 
_Porque fez isso?_ questionei.
_Foi um acidente_ ele disse secamente.
_Acidente?_ eu não ia engolir essa... Ninguém fazia uma coisa dessas por acidente.
_Eu vou lavar... Deve estar incomodando você.

E dizendo isso ele foi até o banheiro... Não o segui. Estava muito tentada a entrar em sua mente e descobrir qual era o problema, mais isso não era certo. Nós tínhamos construído uma relação de confiança e eu não estragaria agora... Queria que ele me contasse. Então esperei até que ele voltasse... Demorou um tempo, imaginei que ele estivesse esperando o machucado sumir.
Quando voltou ao quarto, seu braço estava normal e ele estava sorrindo... Mais não parecia natural pra mim.
_Vai me dizer agora o que esta havendo?_ perguntei irritada.
_Eu me arranhei sem querer_ disse calmamente.
_Espera mesmo que eu acredite nisso?

Eu cruzei os braços irritada... Porque ele estava mentindo pra mim? O que estava errado? Eu tinha me esquecido que estava apenas de calcinha... Isso até ele começar a me analisar de cima a baixo e me olhar com um sorrisinho maldoso. Mais ainda tinha algo errado naquele sorriso... Não chegara aos olhos... Tinha algo errado.
Ele chegou mais perto e eu dei um passo pra trás.

_Nem vem, precisamos conversar_ falei séria.
_Conversar o que? Não temos o que conversar_ ele disse sério e deu mais um passo pra frente.
_Joe... Não brinca comigo, eu to falando sério.

Mais ele não me levou a sério... Me segurou pela cintura antes que eu pudesse fugir e me beijou... Eu não correspondi... Não queria sexo, queria conversar.

_Não seja chata Demi_ ele disse um tempo depois notando minha falta de entusiasmo.
_Você não esta afim de falar_ cruzei novamente os braços_ não estou a fim de transar... Ponto.

Ele não pareceu se abalar com minha afirmação... Estava decidido a me ignorar. Então começou a beijar o meu pescoço enquanto eu continuava de braços cruzados fitando o vazio. Também pretendia ignorar ele... Mais assim era difícil.  
_Me solta Joe_ eu tentei me desvencilhar dele_ eu to com raiva de você.
_Hum, hum_ foi só o que ele disse.

Ele foi me guiando até a cama, sem parar com os beijos... Eu queria ignorá-lo, mais não queria que ele parasse (eu tava gostando o.O) ... Mais ainda estava preocupada com ele. Eu podia sentir que ele estava me escondendo alguma coisa.
Porém, depois de um breve minuto sob as caricias dele eu esqueci completamente qual era o problema... Sabia que ele só estava fazendo isso pra se desviar do assunto, eu o conhecia bem, mais quem se importava? Eu aproveitaria e obrigaria ele a falar depois. Seria por bem ou por mal.

_Vira-lata imbecil_ resmunguei enquanto ele me deitava na cama.

E diferente das outras vezes quando eu brincava assim com ele, ele não riu... Se limitou a continuar a me beijar, me acariciar. Eu deixei essa passar, junto com o resto e o ajudei a se livrar da calça jeans. Ele foi descendo os beijos do meu ombro até minha barriga, me fazendo arrepiar por completo. Depois se livrou da minha calcinha... A única peça de roupa que eu usava.
Conforme os minutos passavam eu sentia que os beijos e as caricias dele iam ficando mais desesperadas e confesso que isso me assustou um pouco. Eu estava com o coração apertado... E minhas suspeitas de que tinha algo errado se confirmaram quando eu fui tirar a sunga dele. Ele simplesmente se desvencilhou do meu abraço, me empurrando de lado e sentou na cama, escondendo o rosto nas mãos.

_Joe?_ chamei confusa.
_Desculpa_ ele sussurrou.
_Qual é o problema?_ perguntei_ eu fiz alguma coisa errada? Eu te chateei com alguma coisa?
_Não é nada com você_ ele levantou da cama irritado_ o problema sou eu.
_Como assim?_ eu não estava entendendo.

Ele pegou calça no chão e a vestiu rapidamente... Depois foi caminhando até a porta sem me dar ouvidos... Eu me levantei, correndo com um fantasma pra ficar na frente da porta antes que ele saísse. 
_Você esta me assustando_ eu disse_ o que foi?
_Só preciso ficar sozinho_ ele disse seco.
Então me tirou da frente da porta, com rispidez, mais não pra machucar... Ele foi cuidadoso, só parecia com pressa de ficar longe de mim. A porta se fechou atrás dele e antes que eu pudesse perceber já estava em prantos.
O que estava havendo com ele?
Vesti minha roupa correndo e desci as escadas atrás dele.

_Cadê o Joe?_ perguntei a todos que estavam na sala.
_Ele saiu sem dizer aonde ia_ Selena explicou_ vocês brigaram?
_Quem dera fosse isso_ suspirei.

Eu estava com medo, sem saber qual era o problema... E não podia ir atrás dele, não sabia onde ele estava, o que me restava era esperar.  
Dean deu uma risadinha discreta e então saiu da sala, indo pra seu quarto... Eu peguei a mala da Kat e levei até meu quarto.

_Você vai dormir aqui comigo e com o Ryan_ eu falei.
_Tem certeza de que é uma boa ideia? Sabe... Eu posso ir pra um hotel_ ela sorriu de lado.
_Não, nem pensar... Você fica comigo_ falei.
_É que... Aqui é o quarto de vocês dois, não quero... Atrapalhar_ sorriu maliciosamente.
_Você não atrapalha nada Kat_ eu disse séria.
_Ta... É que não sei se vou ficar a vontade numa casa cheia de vampiros e lobisomens. Sabe como é... Eu levo numa boa mais, é bizarro colega, muito bizarro.

Eu tive que rir da expressão no rosto dela, mais seria extremamente hilário ter que ver a Kat passar uma semana numa casa com um bando de monstros... Eu não ia perder isso. Ela já tinha freqüentado minha casa antes, mais nunca passara mais que algumas horas, agora era diferente.

_Não se preocupe querida, os lobisomens são mancinhos e obedientes e os vampiros são vegetarianos_ eu sorri pra ela.
_Vegetarianos.
_Só se alimentam de animais... Nada de humanos, você esta segura_ garanti_ só tome cuidado com a Mad, ela ainda esta em fase de crescimento e... Adora morder as coisas.
_Isso foi pra me reconfortar?_ ela fez careta.
_Ninguém aqui vai te machucar Kat_ eu disse agora séria.
_Eu sei, mais faz parte da minha natureza me borrar de medo, então da licença né?_ ela revirou os olhos.

Nós duas rimos juntas enquanto eu a ajudava a se acomodar... E quando ficamos uns instantes em silencio minha preocupação com meus pais voltou. Mais tentei manter a calma, Kat não estava familiarizada com os problemas de vampiros e essas coisas, era melhor não preocupá-la. Se não a assustássemos muito talvez um dia ela resolvesse voltar. 
Dean Narrando

Eu estava no meu quarto pensando na vida... Ou melhor dizendo, pensando na garota da floresta. Fiquei imaginando quem seria ela, de onde viera, estava me tirando do sério todo esse mistério... Eu odiava segredos, era irritante. E estava acostumado a ter todas as respostas graças ao meu dom... Mais não pude entrar na mente dela, fiquei pesando por que.
Suspirei impaciente comigo mesmo e quando abri os olhos vi Mellany sentada na beirada da minha cama.

_Quem é ela?_ perguntou calmamente.
_Ela quem?_ sentei na cama.
_A garota em quem estava pensando_ explicou_ ela é bonita.
_Eu não já avisei pra ficar fora da minha cabeça?_ resmunguei zangado.
_Desculpe, não posso evitar_ ela sorriu envergonhada.

Eu sabia bem como era... Ler os pensamentos das outras pessoas era algo um tanto natural, você podia não querer, mais acabava fazendo de todo jeito... Mais era um dom irritante quando usado pelo outros e não por mim. Eu, Mellany e mamãe e o vovô tínhamos sérias discussões por causa disso. A privacidade aqui em casa era quase zero... Ninguém escondia nada de ninguém, nem poderia. Acho que o único que tinha o direito a segredos era o papai, mamãe se recusava a ler os pensamentos dele e estávamos estritamente proibidos a fazer isso embora fosse tentador... Meu pai sabia ser misterioso quando queria.

_Conheci ela hoje na floresta_ expliquei_ mais não sei quem ela é... Não me disse seu nome.
_Não viu na mente dela?
_Tentei, mais não consegui... Era como se algo me bloqueasse.
_Como o vovô faz?_ Mellany questionou.
_Exatamente_ concordei.
_Ela é uma vampira bonita_ sorriu_ ficou interessado nela?
_Eu nem a conheço_ fiz careta.
_Idaí?_ ela riu_ não acha que esta na hora de arrumar uma namorada?
_Mellany, vai cuidar da sua vida e me esquece ok?  
Eu me deitei novamente na cama e fechei os olhos... Estava disposto a ignorá-la, mais havia um problema... Ninguém ignorava Mellany. Minha irmãzinha adorava atenção.

_O que achou da Kat?_ perguntou.
_Acho que você devia estar fazendo companhia a ela ao invés de ficar me torrando a paciência_ sorri ironicamente.
_É sério Dean_ fez bico.
_Ela me pareceu legal_ bufei_ e maluquinha igual a você.
Ela riu e se deitou na cama do meu lado... Nós dois ficamos em silencio encarando o teto branco do meu quarto.

_Acha que ela vai ficar bem aqui nessa casa de aberrações_ eu perguntei em tom de brincadeira.
_Ela vai sobreviver_ respondeu_ ela gostou de você.

Eu me limitei a revirar os olhos... Não queria fazer como a Mellany, me encantar com uma humana, e depois ficar dividido... Transformá-la ou deixá-la morrer, como deveria ser... Sabia que era decisão difícil. Eu preferia me apaixonar por alguém como nós.

_Não estou mandando você pedi-la em casamento_ ela disse respondendo aos meus pensamentos.
_Eu sei, mais não quero arriscar_ dei de ombros.
_Eu sei como é_ ela me garantiu.
_Foi muito difícil pra você não foi? Com o Ryan?
_Foi sim, mais no final deu tudo certo_ ela sorriu_ eu tive sorte.

Silencio... Eu notei que Mellany estava preocupada com alguma coisa, eu podia sentir. Nós tínhamos uma espécie de ligação estranha, acho que era coisa de irmãos, como irmãos gêmeos... Eu podia sentir as oscilações de humor dela e vice-versa. Sabia quando estava feliz, quando estava triste ou preocupada e podia encontrá-la em qualquer lugar que fosse sem usar os instintos de vampiro, nada de olfato nem essas coisas... Apenas sentindo.

_Eu sei que você finge que não mais... _comentei_ sei que a presença dela aqui é difícil pra você.
_Não quero que ela vá embora de novo_ ela sussurrou_ é minha melhor amiga e... Dói tanto saber que vou perdê-la. De uma forma ou de outra.
_Você sabia desde o inicio que seria assim.



4 comentários:

  1. ai meu Deus o que o joe tem ??????? posta logo pq sou muito curiosa kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. voce vai saber no próximo capitulo curiosa ;P

      Excluir
  2. Hey você poderia dar uma passadinha na minha fic e dizer o que você acha e me ajudar a divulgar??
    http://ihateyoudontleavemejemi.blogspot.com.br/
    Agradeço desde já :D

    ResponderExcluir

 

© Template Grátis por Cantinho do Blog. Quer um Exclusivo?Clique aqui e Encomende! - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré