Translate

Hold My Hand - Capítulo 18



Capítulo 18



Duvidas e incertezas fazem parte da vida... Mais não podemos deixar que o medo do desconhecido nos impeça de viver.


Eu e Joe estávamos sentados na calçada de casa olhando a rua e conversando... Eu nunca me cansava de ouvi-lo falar sobre sua vida, pelo contrário. Eu gostava muito, e evitava falar muito sobre mim. Tinha certas coisas que ele não precisava saber.

_Eu sempre quis ter irmãos_ eu comentei_ mais como meu pai morreu.
_Sua mãe e Half não pensaram em ter filhos juntos?_ ele perguntou.
_Minha mãe até queria, mais o Half não_ dei de ombros_ ai eu fiquei como filha única.
_Não gosta de não ter que dividir a atenção?
_Eu não ligo pra isso_ falei_ na verdade adoraria dividir toda atenção que recebo.

Ele não fazia de como... Talvez se Half tivesse um filho, parasse de pegar no meu pé, ou talvez ao menos me perturbasse menos.

_Eu gostaria de conhecer seu irmão_ comentei.
_Isso ai vai ser difícil_ deu de ombros_ mais eu posso te mostrar umas fotos dele se quiser... Tem no meu computador.
_Ia ser legal_ eu sorri.
_Vem comigo_ ele chamou.

Ele segurou minha mão e me guiou pra dentro da casa dele... Eu ainda não tinha entrado lá depois que terminaram de arrumar e como eu imaginava tinha ficado incrível.

_Sua casa ficou linda Joe_ eu disse sorrindo.
_Eu ajudei a decorar_ sorriu orgulhoso_ tenho muito bom gosto.
_Deixa de ser convencido garoto_ dei um tapa no braço dele.
_Só sou realista_ ele disse rindo_ ou você não acha que eu sou demais?
_Não, eu não acho_ fiz bico.
_Ah, não é?_ sorriu maliciosamente.
Ele pos a mão na minha cintura e foi me empurrando devagar até me encostar na parede... Ele colou seu corpo ao meu e começou a beijar meu pescoço. Eu me arrepiei toda, sentindo sua língua quente em meu pescoço, e apertei seus braços com força. Ele subiu mais sua mão pela minha blusa, e eu soltei um gemido baixo, o fazendo sorrir.

_Ta bom, você é demais_ eu me dei por vencida.
_Eu disse a você_ ele riu.
_Agora que tal vermos aquelas fotos?_ eu disse.
_Ta bem, como quiser.

Ele me soltou e fomos subindo as escadas... Eu agradecia todos os dias por ele ser tão compreensivo comigo e não ficar com raiva quando eu interrompia nossos momentos. Mais eu não estava acostumada com toda essa intimidade, esse carinho... Tudo que eu fizera antes sempre fora por obrigação, por medo... Agora era diferente, e eu ainda não sabia muito bem como lidar com isso.
Chegamos ao quarto dele e se sentou na cadeira do computador, eu puxei outra cadeira e fiquei ao seu lado.

_Esse é o meu irmão Kevin_ ele apontou pra foto no computador.
_Ele é um gato_ eu disse sorrindo.
_Você achou é?
_Achei.
_É de família_ sorriu largamente.
_Aff_ revirei os olhos_ quem é o bonitinho ali no colo da sua mãe?
_É o meu irmão mais novo... Franklin... Ele tem nove anos.
_Você não me disse que tinha outro irmão... Onde ele esta?
_Com a minha vó_ explicou_ ele não quis se mudar de jeito nenhum... Disse que ficaria por lá.
_E sua mãe deixou?_ ergueu a sobrancelha.
_Deixou por enquanto... Mais disse que vai obrigá-lo a vir depois_ deu de ombros.

Eu me levantei da cadeira e fiquei em pé de frente pra cama dele... Admirando a pintura na parede.
_Ele é muito fofo_ sorri.
_Como eu disse_ ele me abraçou por trás_ é de família.
_Eu devia bater em você_ eu ri.
_Eu tenho uma ideia melhor_ sussurrou.
_E qual seria?_ perguntei.
_Você pode me encher de beijos_ ele sorriu.
_Gostei da ideia_ sorri.

Joe me virou de frente pra ele e me beijou de forma calma e apaixonada, daquele jeito que me deixava louca e me fazia perder toda razão. Deslizei minhas mãos pelo peito dele, envolvida no momento e tirei sua blusa, largando ela no chão. Joe sorriu pra mim, parando o beijo e acariciando meu rosto delicadamente.

_Você é tão linda_ sussurrou_ parece um anjo.
_Não sou um anjo_ falei, longe disso_ sou só uma garota.
_Uma garota especial_ ele disse.
_Não sou especial_ revirei os olhos.
_É especial pra mim_ sussurrou.
Ele me olhou nos olhos enquanto suas mãos desciam da minha cintura e iam até os botões do meu short... Eu respirei fundo e fechei os olhos, sentindo sua respiração bater em meu rosto. Ele desabotoou meu short e deixei que ele caísse aos meus pés, ignorando minha vergonha, minha timidez. Ele voltou a me beijar e foi me guiando devagar até a cama, me fazendo deitar e se deitando por cima de mim, grudando seu corpo ao meu. Seu sorriso e seu olhar carinhoso me tiravam do sério... Fizeram meu coração disparar loucamente, algo que só ele conseguia fazer. Joe deslizou suas mãos pra dentro da minha blusa, e foi subindo até meu seio, massageando carinhosamente enquanto me beijava com calma. Eu gemi baixo em seu ouvido, sentindo um prazer que nunca tivera antes, diferente do que eu sentia com Half.
Joe foi subindo a minha blusa devagar e ia beijando meu corpo no caminho, eu me arrepiei por completo e senti ele sorrir. Ele terminou de tirar minha blusa, me deixando apenas de calcinha e voltou a me beijar, dessa vez de uma forma mais intensa, mais quente, enquanto me acariciava. E nessa hora eu me lembrei do Half, de todas as vezes que fora forçada a dormir com ele, de como ele me machucara, de como doeu, como fora terrível... Me lembrei de como chorei por culpa dele e tive medo de me sentir assim de novo, tive medo do que aconteceria. Então quando o vi abrir os botões de sua calça me desesperei. Não consegui evitar o surto de pânico e o medo que me invadira... O empurrei pra longe.

_PARA, ME SOLTA_ eu gritei me afastando dele.
_Demi, o que foi?_ ele perguntou assustado.
_Não posso fazer isso_ sussurrei_ não posso.
Eu me sentei na cama e me encolhi, abraçando os joelhos, tentando me esconder... E comecei a chorar sem parar, não pude me controlar, as lágrimas desciam sem minha permissão.

_Demi, fala comigo_ ele pediu_ o que houve?
_Eu não posso fazer isso... Não posso, não posso... Eu não consigo_ disse aos prantos.
_Se acalma, ta tudo bem_ ele esticou a mão pra tocar meu rosto.

Eu me esquivei de seu toque e deitei na cama ainda encolhida, dando as costas a ele... Não conseguia encará-lo, eu era tão estúpida. Senti que ele deitara ao meu lado, e sua mão tocou meu braço, acariciando, num gesto de conforto.
_Desculpa_ sussurrei envergonhada.
_Não se desculpe_ ele disse_ ta tudo bem... Agora se acalme.

Eu fechei meus olhos, ainda chorando sem parar... Não queria fazer isso com Joe, ele não merecia. Mais eu não ia conseguir dormir com ele, não assim, não agora. Não sabendo que no dia seguinte teria que suportar o Half... Eu tinha medo, medo de doer, medo de me arrepender... Medo de magoar a mim e a ele. Os pensamentos passavam loucos pela minha cabeça e eu acabei adormecendo com a voz de Joe em meu ouvido me dizendo que tudo ficaria bem.
.............................

Quando abri os olhos de novo, vi que ainda estava no quarto de Joe, deitada em sua cama... Ainda estava só de calcinha, mais o lençol da cama me cobria. Me sentei, puxando o lençol junto pra me esconder... Joe estava sentado na cadeira do computador, vestido só em sua calça... Distraído com o celular.

_Oi_ eu disse baixinho.
_Ah_ ele sorriu_ já acordou?
_É_ concordei forçando um sorriso.

Ele levantou da cadeira, largando o celular de lado e veio se sentar na cama ao meu lado. Eu não consegui olhar nos olhos dele.
_Como você ta?_ ele perguntou.
_Bem_ eu disse e suspirei_ desculpa Joe.
_Você não tem que me pedir desculpas.
_Claro que tenho... Eu não queria ter feito aquele escândalo... É que eu...
_Demi_ ele levantou a mão pra acariciar meu rosto_ não se desculpe comigo... Eu entendo se você não se sente pronta ainda.
_Não esta com raiva de mim?
_É claro que não_ ele riu.
_Mais outro garoto no seu lugar, teria ficado com raiva, ia querer me matar ou me forçar a...
_Eu não sou como os outros garotos_ ele disse.
_Não_ concordei deixando uma lágrima cair_ é melhor que todos eles.

Ele sorriu e limpou a lágrima que desceu, acariciando meu rosto... Eu me senti a inda pior, não merecia um namorado como ele, alguém tão carinhoso e compreensivo. Porque eu não podia ter uma vida normal como todo mundo? Porque não podia ser simplesmente uma garota como as outras, que pudesse fazer seu namorado feliz sem entrar em pânico?

_Eu preferia que você tivesse ficado com raiva_ disse_ me sentiria menos culpada.
Ele sorriu de novo_ Demi, não vou gostar menos de você só porque não quis transar comigo. Eu te amo, e espero o tempo que for necessário até você estar pronta.
_Obrigada Joe... De verdade. Obrigada por me entender e me aturar assim.
_Não precisa agradecer gata_ ele riu_ agora é melhor se vestir.

Ele pegou a minha roupa que estava no chão e me deu ainda sorrindo.

_Vou esperar ali fora_ avisou.

Ele saiu do quarto e eu me vesti novamente, me olhando no espelho... Eu estava com a cara horrível, estava cansada. O que ele tinha visto em mim afinal? Suspirei e ele voltou ao quarto.

_Acho melhor eu ir_ falei.
_Ta bem_ ele concordou_ e não chora mais.

Ele me deu um beijo, e eu pulei da minha sacada pra dele... E encontrei uma tulipa vermelha em cima da cama.
Era oficial... Ele é bom demais pra mim.

3 comentários:

  1. Half vai morrer com 5 tiros no peito neh ? Ja li essa historia ! A parte da praia de jemi e nelena eh a melhor !

    ResponderExcluir
  2. TA MUCHO PERFECT MANOOOOO
    serio eu aqui achando que ia ter um hot
    mas entendo a demis :/
    EU VOU MATAR O HALF,IDIOTA,BURRO,VIADO,SEU BROXA,PUTO,VAGABUNDO EU TE ODEIOOOOOOOOOOOOOOOO
    okay ja me acalmei kkkkkkkkkk
    posta logo baby
    xoxo

    ResponderExcluir
  3. O Half tem que acabar sofrendo igual que ele faz na Demi

    ResponderExcluir

 

© Template Grátis por Cantinho do Blog. Quer um Exclusivo?Clique aqui e Encomende! - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré