Translate

Anjo da Noite - Capitulo 32 e 33



Capítulo 32 – Veneno


_Conseguimos_ Selena comemorou.
_Você tinha alguma duvida disso?_ Nick perguntou.
_Nós somos o máximo_ Kevin disse em um tom convencido.
_Só escaparam uns cinco mais não vai fazer muita diferença_ Dani comentou.

Selena se pendurou no pescoço do namorado pra lhe dar um beijo, a guerra tinha acabado, eles venceram.

_Marcus quando vamos conversar?_ Daiana perguntou impaciente.
_Conversar sobre o que?
_Sobre o que houve qui. Porque mentiu pra mim? Porque não me contou que era a Trish que estava fazendo essas coisas?
_Porque eu não sabia...
_Mentira_ ela o interrompeu irritada.
_Daiana_ fez careta.
_Onde ta a Demi?_ Selena perguntou de repente.
_Deve ta por ai se agarrando com o vira-lata_ Marcus disse com uma cara de nojo.
_Você não mandou ela atrás da Trish?_ Daiana perguntou.

Ele arregalou os olhos quando lembrou disso. Sem dizer nada Selena começou a correr pela floresta, os outros foram logo atrás dela. Ela parou quando viu Joe jogado no chão. 

_Joe?_ se abaixou ao lado dele.
_Selena?_ perguntou confuso.
_O que aconteceu?
_Trish_ sussurrou.

Ele deu um grito de dor e só ai a Selena viu a marca em seu braço.

_Ele foi mordido_ falou pra Paul.
_O veneno ta no sangue dele_ respondeu.
_Eu vou morrer?_ perguntou agoniado.
_Não, mais isso vai doer pra caramba_ Nick disse.
_Joe, onde ta a Demi?_ Selena perguntou preocupada.
_Eu... Eu não...
Eles olharam pro lado e a viram jogada no chão do outro lado da clareira. Selena correu até lá e se abaixou ao seu lado.

_Ela ta quente_ Selena falou preocupada.
_O que?_ Joe perguntou.
_Ela ta morrendo_ sussurrou. 
_O que ela tem?
_O sangue dela, alguém a envenenou.
_Envenenou? E da pra envenenar um vampiro?_ Joe falou confuso.
_Marcus_ Selena o encarou esperando que ele dissesse alguma coisa_ Ela vai morrer.

Ele observou por mais um instante então resolveu tomar uma atitude.

_Levem ela pra casa agora_ ele ordenou_ lá vou saber melhor o que fazer.
_Mandem o resto do pessoal pra casa e encontrem agente lá_ Paul pediu a Kevin.
_Tudo bem.

Joe levantou do chão com dificuldade, estava tonto e sentindo dor, ele chegou perto da Selena.

_Eu levo ela_ pediu.
_Não, você nem esta se agüentando em pé. Vai ser mais rápido se eu levar.
_Mais eu quero ajudar_ falou com um pouco de dificuldade.
_Então se mantenha vivo e acordado. Ela vai precisar de você_ sorriu.
_Quer ajuda?_ Nick perguntou_ você não vai conseguir se transformar assim.
_Aceita_ Selena incentivou_ é a ajuda de um amigo.
_Tudo bem_ ele forçou um sorriso.

Marcus observou a cena e então começou a correr até em casa pra preparar tudo. Kevin mandou todos que sobraram irem pra casa e depois seguiu com seu pai e a Dani até a casa dos vampiros. Selena pos Demi no colo e a levou. Nick estendeu a mão pro Joe e ele segurou, o levantou do chão e o pôs no ombro com facilidade, como se ele não pesasse nada e então seguiram.
Narrado pelo Joe

Ao chegar em casa eles levaram a Demi até uma sala, as paredes eram todas brancas e tinha uma espécie de maca no centro, parecia uma sala de hospital. Nick me pôs no chão e Selena deitou Demi na maca. 

_O que fazemos agora?_ Selena perguntou impaciente.
_Temos que tirar o veneno de dentro dela antes que se espalhe_ Marcus falou.
_Ótimo e como vamos fazer isso?
_Alguém vai ter que sugar o veneno. 
_O que...

Ela parou sem saber o que dizer, então de repente a Demi abriu os olhos e começou a gritar, se contorcendo de dor.

_Para pelo amor de Deus_ gritou.
_Demi calma_ tentei acalmá-la. 
_Não, ta queimando.

Ela se sacudia sem parar na maca e então eu subi e me sentei sobre ela pra impedir que se mexesse. Os objetos da sala começaram a voar e os olhos dela ficaram totalmente brancos. Um dos vampiros que estava na sala de repente pirou, colocou as mãos no rosto e começou a gritar pedindo que ela parasse com aquilo. O outro começou a voar e ficou preso no teto.

_Selena faz alguma coisa_ pedi desesperado.
_Eu não sei o que fazer.

Então ela também levou as mãos ao rosto e começou a gritar. Eu sabia o que estava acontecendo, a Demi estava fazendo eles terem visões. Ela se contorceu em baixo de mim, tentando se soltar, me deu um soco com tanta força que deslocou meu braço, mais eu não a soltei.

_Selena, acorda, faz alguma coisa.
_Eu não posso_ gritou.
_Isso não é real, não é real_ eu insisti.
Ela me olhou tentando se concentrar enquanto os outros na sala se contorciam em agonia, então levantou rapidamente, segurou o braço da Demi e cravou seus dentes em sua pele. Demi foi se aquietando aos poucos, sua força diminuindo, o cara que tava no teto caiu no chão e os outros pararam de gritar. Então Selena a soltou e seus olhos voltaram a se fechar. Nick segurou a Selena antes que ela fosse ao chão.

_Ela ta bem?_ perguntei a ele.
_Vai ficar_ ele garantiu_ sangue de vampiro não faz bem a saúde.
_Ta limpo, o sangue dela ta limpo_ sussurrou.
_Tudo bem amor.

Ele a pegou no colo e a levou pra fora da sala, eu sai de cima da Demi e me sentei no chão, ainda me sentia fraco. Marcus se aproximou de mim e estendeu a mão.

_Ajuda?_ ele perguntou.
_Sim.

Eu segurei a mão dele e ele puxou meu braço com força pra botar no lugar. 

_É melhor levá-la pra um quarto_ Daiana disse.
_Ela vai ficar bem?_ perguntei preocupado.
_Não sei_ ele confessou.

Depois disso nós a levamos pra seu quarto, Daiana deu um banho nela, vestiu uma roupa e a deitou cuidadosamente na cama. Ela se ofereceu pra cuidar dos meus ferimentos e me deitei pra descansar em uma poltrona ao lado da Demi e acabei adormecendo. Quando acordei no dia seguinte ela ainda estava desacordada, Marcus entrou no quarto e me chamou até seu escritório pra podermos conversar.

_Não precisa se preocupar eu vou embora assim que a Demi acordar_ garanti. 
_Não te chamei aqui pra te mandar embora.
_Não? O que foi então?
_Eu queria te agradecer_ falou meio sem jeito.
_Como é?
_Por não ter abandonado minha filha. Eu estava te observando e... Vi que você realmente se importa com ela. Que a ama.
_É, eu amo a sua filha sim. Mais você não tem que me agradecer nada, não fiz por você, fiz por ela, eu nunca deixaria ela morrer.
_Eu sei disso. Olha Joe, já fazem incontáveis anos que a briga entre lobisomens e vampiros existe, eu nem me lembro mais como começou. 
_E o que isso tem haver?
_Tem haver que... Hoje eu percebi que isso não é justo. Depois de ver a sua preocupação com a minha filha eu... Meu problema nunca foi com você na verdade. E eu queria te pedir desculpas.
_Desculpas?_ falei sem acreditar_ isso é serio?
_Eu não tenho direito de decidir quem a Demi deve amar, o que ela deve fazer da vida dela, essa é uma escolha que cabe somente a ela. Eu não tenho esse direito, não depois das coisas que fiz. 
_Aonde você quer chegar?
_Quero dizer que não vou mais implicar com o relacionamento de vocês. Vou deixar que sejam felizes juntos e... Que você cuide dela por mim, você é melhor nisso do que eu.
_Você vai permitir que agente namore? 
_É, Não estou tão contente com isso, mais eu vou lhes dar um voto de confiança_ sorriu.
_Bom então... Obrigada_ não sabia muito bem o que dizer_ Não sabe como isso é importante pra mim.
_Eu sei sim.

Quando eu sai da sala dei de cara com meu pai, ele me abraçou e pediu desculpas, prometeu que me apoiaria dali pra frente. Pelo menos toda essa confusão tinha servido pra alguma coisa. Então voltei pro quarto pra ficar com a Demi, ela parecia tranqüila enquanto dormia. Isso me preocupou, quando ela ia acordar? Ela ficaria bem? Eu não tinha essa resposta.

_Ela vai ficar bem_ Selena sorriu pra mim_ ela é forte.
_Eu espero que sim.
  
Capítulo 33 – Recomeço


Abri os olhos devagar, tudo estava embaçado. Imagens vinham a minha cabeça, um sonho tentando ser lembrado. Então percebi que não tinha sido um sonho, era tudo real, me sentei na cama assustada e me deparei com um par de olhos negros me observando cautelosamente.

_Demi?
_Ah, Joe.

Me arrastei na cama pra poder abraçá-lo, achei que tinha matado ele, achei que tudo estava acabado. Ele sorriu pra mim e me abraçou apertado. 

_Você ta bem?_ perguntei.
_Eu to sim, mais e você? Ta se sentindo bem?
_Eu to meio tonta. O que aconteceu? A Trish... Ela...
_A Trish fugiu.
_Fugiu? Mais...
_Calma, nós ainda vamos encontrá-la, relaxa ta bom?

Eu o encarei por um instante, vendo seu lindo rosto, achei que nunca mais isso seria possível. Ele estava me segurando pelos ombros e então pude ver a marca dos meus dentes em seu braço, a pele estava mais clara. 

_Desculpa_ pedi.
_Ta tudo bem_ ele sorriu.
_Eu quase te matei_ falei.
_Mais não fez. Você conseguiu, você parou. Não sei como mais parou, acho que meu gosto não é bom tão bom quanto o cheiro_ deu de ombros e sorriu.
_É ainda melhor_ sorri também.
_Como você conseguiu?_ perguntou agora sério.
_Não sei_ sussurrei_ eu não podia parar, eu não queria parar, mais eu não podia te matar, não podia viver sem você.
_Eu te amo_ ele disse.
_Eu também.

Ele segurou meu rosto em suas mãos muito cuidadosamente e então me beijou, sem medo, como se aquele fosse o último. Aquilo era tão bom, mais a queimação que eu senti me lembrou que eu devia ter cuidado.
_Que foi?
_Eu estou com sede_ reclamei.
_Oh, você ficou desacordada por um bom tempo.
_Quanto tempo eu apaguei?
_Cinco dias.
_Cinco?_ falei assustada.
_É, eu estava preocupado. Achei que nunca mais veria a linda cor dos seus olhos.

Eu sorri, só ele mesmo pra me fazer sentir daquele jeito uma hora dessas. Mais então me distrai, eu percebi que estava em casa.

_Eu estou em casa_ falei.
_É.
_Mais o meu pai ele... O que você faz aqui... E... ?
_Calma. Aconteceu muita coisa nesses dias que você ficou desacordada_ ele garantiu.
_Eu to meio confusa_ confessei.
_Não se preocupa, ta tudo bem.

Então a porta do quarto se abriu e a Selena entrou junto com o Nick, a Dani e o Kevin. Eles se jogaram na cama pra me abraçar.

_Demi, se ta legal?_ Selena perguntou.
_Eu to, só to meio perdida.
_Ah amiga que bom que você acordou.
_Estamos muito felizes que você esta bem_ Dani disse.
_Ta sentindo alguma coisa?_ Kevin perguntou preocupado.
_Sede_ falei.
_Eu resolvo isso_ ouvi a voz da minha mãe.

Ela entrou o quarto e me abraçou apertado. Achei que nunca mais poderia fazer isso. Ela me entregou uma garrafinha de água, só que dentro tinha sangue. 

_Pronto querida, bebe. Você vai precisar_ sorriu.
_Oh mãe, achei que não fosse mais te ver, nenhum de vocês. 
_Oh bobinha, não fala isso nem brincando_ disse.
_Agora bebe_ Joe mandou_ você ainda ta fraca. 
_Tudo bem.

Eu comecei a beber e me surpreendi com o tamanho da minha sede, acabei com todo o liquido da garrafa e ainda não parecia ser o suficiente. Todos sorriram felizes por eu estar bem, parecia um sonho, um sonho muito bom. Então meu pai entrou no quarto, parou na porta nos observando curiosamente, aquilo devia ser estranho pra ele.
_Será que... Vocês podem me deixar conversar com a Demi um minuto? 
_Claro_ minha mãe sorriu.
_Fica bem_ Joe segurou meu rosto delicadamente e me deu um selinho.
_Ok.

Então eles saíram do quarto, me deixando sozinha com ele. Ele se aproximou devagar e se sentou na cama a minha frente.

_Como você ta?
_Bem, um pouco confusa mais... Bem.
_Que bom. Eu... Tive medo de que você não acordasse.
_Não é tão fácil assim se livrar de mim_ forcei um sorriso.
_Fico feliz_ sorriu meio sem jeito.

Ele me observou em silencio, sem saber o que dizer, por onde começar. 

_Me perdoa?
_Perdoar? Pelo que?
_Por ser um idiota, pelas coisas que falei. Eu não tinha aquele direito.
_Pode parecer estranho mais eu entendo você pai. Eu sei bem o porquê você ficou daquele jeito.
_Eu queria que você me perdoasse por ser tão rígido. Incompreensível.
_Eu queria que o senhor me perdoasse por ter mentido, lhe enganado. 
_Não há pelo que se desculpar, é minha culpa, se eu não fosse tão chato você teria confiado em mim.
_Eu te amo pai.
_Eu também te amo filha.

Ele me deu um abraço apertado, não fazia ideia de como aquilo me deixava feliz, eu tinha minha vida e minha família de volta.

_Tem mais uma coisa. 
_O que?
_Eu conversei com o vira-lata e eu resolvi deixar vocês namorarem em paz.
_É sério?
_Eu só quero te ver feliz querida.

Estava tudo perfeito, se melhorasse era capaz de estragar. Depois que meu pai saiu Paul entrou no quarto pra falar comigo.

_Oi.
_Oi_ sorri.
_Eu vou direto ao assunto, queria falar sobre você e meu filho.
_Pode falar.
_Nós andamos conversando e eu percebi o quanto ele gosta de você. Eu até achei que fosse só pra fazer pirraça mais agora eu sei que não.
_Agente se ama de verdade.
_Eu sei disso e eu achei que você tinha o direito de saber o porquê eu impliquei tanto com isso.
_Eu acho que sei.
_Mesmo assim. Eu sempre tive um problema com vampiros. Sabe como é, essa briga entre as espécies, coisa da natureza_ sorriu_ eu sempre tive uma imagem formada sobre vocês. Uma imagem errada.
_Errada?
_Pra mim vocês eram todos assassinos frios e sem coração, nascidos pra matar e destruir tudo que aparecesse pela frente, não que eu fosse um anjo claro.
Eu tive que rir com isso.
_Mais ai eu conheci seu pai, e apesar das diferenças nós tornamos amigos. EU sei que pode não parecer, mais é que isso mudou depois daquele nosso pequeno incidente, eu tomei uma raiva inexplicável de vocês depois daquilo.
_Eu me arrependo até hoje_ confessei.
_Eu sei. Quando eu soube de você e do Joe eu pirei. Não queria admitir que meu filho estava apaixonado por uma assassina e ainda mais você. Justo você, a vampira que eu tinha mais raiva e também mais respeito. 
_Respeito?
_Pelo seu jeito Demi, seu estilo de vida. Sua personalidade incomum pra uma vampira. Mais no fim das contas não passava de orgulho ferido, tanto da minha parte quanto de seu pai.
_Você não vai mais ser contra o nosso relacionamento?
_Não_ balançou a cabeça e deu um leve sorriso_ Quem sou eu pra tirar do meu filho aquilo que ele mais ama? Eu não tenho direito de acabar com a felicidade dele assim. E você é a felicidade dele Demi, Eu vejo o jeito que te olha, como ele fica perto de você e não é de hoje.
_Ele uma pessoa muito especial.
_É. Tem um gosto meio duvidoso mais... _ deu de ombros e riu_ Ele é um ótimo garoto e te ama. E o que eu mais quero na vida é ver meu filho feliz.
_Obrigada por entender.
_Obrigada por fazê-lo feliz.

Ele estendeu a mão pra que eu apertasse, o primeiro gesto amigável dele para comigo em tantos anos. Eu não consegui conter as lágrimas que surgiram em meus olhos, eu tinha medo de estar sonhando e de repente acordar, era tudo bom demais pra ser verdade. Então ele saiu do quarto pra me deixar sozinha. Eu sorri pra mim mesma, sozinha, nós ainda passaríamos por muita coisa mais esse era um ótimo começo, ou melhor... Recomeço.

2 comentários:

 

© Template Grátis por Cantinho do Blog. Quer um Exclusivo?Clique aqui e Encomende! - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré