Translate

Anjo da Noite 2 - O Fim - Capitulo 29

Capítulo 29 – A vingança


Eu fiquei ajoelhada onde estava, a espada suja de sangue em minhas mãos. Observei com lágrimas nos olhos a cena horrenda a minha frente... Minha irmã morta... Eu a tinha matado. Selena andou com dificuldade e se abaixou ao lado do Joe, analisou a espada suja com o seu sangue e escorou a cabeça em seu peito, depois de um minuto levou a mão ao rosto... Fazendo uma expressão de desespero. Então os outros apareceram correndo na clareira... Miley, Liam, Kevin, Nick e Dani. 

_O que houve?_ Liam perguntou assustado.
_Ele esta morto_ Selena sussurrou.
_O que?_ Kevin falou já desesperado.
_NÃO_ gritei.

Me levantei correndo e fui até a ele, pus a mão em seu rosto, ele estava caído, seus olhos abertos e sem vida... Não podia estar acontecendo.

_Joe? Fala comigo_ sacudi ele_ Fala alguma coisa. 
_Demi... _ Selena chamou. 
_JOE... ME RESPONDE_ gritei aos prantos. 
_A espada era de prata Demi_ Selena falou_ ele morreu.
_NÃO... ELE NÃO PODE ESTAR MORTO... ELE NÃO PODE ME DEIXAR.
_Demi não faz isso_ Nick pediu. 

Ele se aproximou pra tentar me tirar dali mais eu não deixei... O Joe não respirava, e eu não conseguia ouvir seu coração bater... Senti como se tivessem arrancado meu coração fora, vê-lo assim era pior que qualquer tortura, me deitei sobre o corpo, não estava mais quente como de costume, ele estava frio. O seu sangue doce estava ali... Derramado a minha frente, na minha pele, mais aquilo não me incomodou, não doeu como era pra ser... Só sentir a dor quando ouvi Selena repetir que ele estava morto... Aquilo era pior que o inferno, não podia ser real, eu tinha que estar sonhando. Eu não poderia viver sem ele. Minha vida tinha acabado.
_Demi_ Dani chamou_ levanta daí.
_Não_ sussurrei, eu queria gritar mais minha voz não saia, eu não conseguia fazer nada a não ser chorar e abraçar seu corpo cada vez mais apertado. 
_Demi_ Kevin disse também chorando_ é melhor você ir, isso não vai te fazer... Bem_ sua voz falhou.
_Ele morreu_ sussurrei_ acabou, minha vida acabou, eu não quero mais...
_Alguém tira ela daí_ Miley aconselhou.
_Demi vem.

Liam tentou me puxar, fazer com que eu saísse de cima dele, mais eu não queria, eu queria morrer também, queria morrer junto com ele... Qual era o sentido de viver se ele estava morto.?

_Eu quero morrer.
_Eu não acredito nisso_ Kevin se abaixou no chão e deixou as lágrimas descerem, Dani se sentou ao lado dele e o abraçou.
_Joe meu amor, fala comigo... Não brinca assim comigo, me responde_ implorei, minha voz quase não saia, só os soluços do meu choro de desespero_ Eu te amo, fala comigo. JOE.

Não sei quanto tempo passei ali... Agarrada ao corpo dele. Depois de algumas tentativas frustradas eles desistiram de tentar me tirar dali, eu só chorei tudo que pude, até meus olhos incharem e doerem. Mais não doíam mais que meu coração. Então eu simplesmente não agüentei mais aquilo, alguém teria que me pagar pro isso e eu sabia bem quem era. Passei a mão no rosto do Joe, analisando sua expressão sem vida, dei um beijo nele e respirei fundo antes de me levantar. Foi mais difícil do que pensei... Parecia que não tinha chão, que eu não tinha apoio. Senti minhas pernas fraquejarem, querendo me trair... Me levar ao chão. Mais eu precisava agüentar... Por ele. Peguei minha espada no chão e fui andando na direção da casa secreta.

_Demi aonde você vai?_ Selena perguntou. 
_Matar a responsável por isso_ falei.
_A Taylor já esta morta_ falou.
_Estou falando da vagabunda, desgraçada da Trish. 
_Você não vai atrás dela_ repreendeu.
_E quem vai me impedir?
Eu ignorei o jeito que ela me olhou, e passei direto sem olhar pra trás... Não agüentaria olhar pro corpo dele de novo. Corri até minha casa e entrei no quarto, Mellany dormia na enorme cama como um anjo e minha mãe estava sentada ao seu lado. Meu coração doeu ao olhar pra ela, tinha a cara dele, não consegui conter as lágrimas.

_Demi o que houve?_ minha mãe perguntou_ de quem é esse sangue?
_Esse aqui?_ apontei a espada pra ela irritada_ É da Taylor.
_Você matou a...
_É, infelizmente fiz isso tarde demais. 
_Demi o que... Esse sangue na sua roupa é dela?

Eu parei de respirar na hora, não ia conseguir responder. Ignorei ela e abri a porta do meu guarda roupa, tirei minha roupa rapidamente, evitando olhar praquele sangue, minha mãe continuou a esperar por uma resposta. Vesti um short preto, minhas botas, uma regata branca e também uma capa preta. Peguei uma outra espada que tinha ali e prendi ao cinto. Depois peguei uma pistola carregada com prata e a pus no suporte que estava preso a minha coxa.

_Demi aonde você vai? De quem é esse sangue?_ insistiu preocupada.
_É do Joe mãe. 
_O...
_Ela o matou.
_Meu Deus... Demi.
_Eu vou acabar com a Trish, ela vai me pagar_ disse sem conseguir conter as lágrimas. 

Eu me virei pra sair do quarto mais dei de cara com a Selena, ela levantou a mão querendo me parar.

_Sai da frente_ pedi. 
_Não, não vou deixar você cometer essa loucura. 
_Sai da frente agora Selena. 
_Demi, você não pode fazer isso, vai morrer... 
_E daí?_ dei de ombros. 
_Como é daí? E a sua filha?

Eu perdi a linha de pensamento, não queria mais viver e não me importava se essa missão me mataria, mais e minha filha? Minha duvida momentânea sumiu na hora em que vi Kevin entrar no quarto carregando o corpo do Joe nas costas. Minha mãe pegou Mellany no colo e Kevin o pos na cama. 

_Dane-se... Isso não vai ficar assim.
Dei as costas a todos e sai de casa correndo, estava na hora da vingança... Eu ia por um fim nisso, não importa se custaria minha vida. Eu já tinha vivido tempo demais e a única coisa que me mantinha de pé agora não existia mais... Estava acabado. Corri pela cidade, sentindo o vento frio bater em meu rosto... Aquilo não estava me ajudando como de costume, agora nada podia me ajudar. Fui até o metrô, onde matei aqueles dois lobisomens da ultima vez e encontrei aquele vampiro lá... Aquele que eu tinha poupado à vida. 

_Hora, vejam quem esta aqui_ disse sorrindo. 
_Sabia que te encontraria aqui. 
_O que te traz aqui? Que cara é essa?
_Preciso de uma informação. 
_Informação?
_Sua namorada... Ela ainda se encontrava com o pessoal da Trish?
_Sim. 
_Onde?
_Eu digo se você me contar o porquê dessa sua cara. 
_É a única que eu tenho. 
_Não... O que ela te fez? Porque quer achá-la?

Eu virei à cara pro lado tentando engolir minha raiva e minha tristeza... Não queria falar sobre isso. 

_Vamos... Me conte. Você matou minha namorada... Mereço um pouco de crédito. 
_Ela matou meu namorado. 
_O vira-lata?
_É. 
_Acho que agora você sabe como é né?
_A diferença é que eu o amava... E você não se importava com a sua namorada. 
_Como sabe?
_Você não deu a mínima quando eu a matei... Se a amasse de verdade... Teria vingado a morte dela, teria ao menos tentado me matar. 
_Tem razão... Eu não a amava... Era só... Sexo. Vampiros não amam Demetria, nós somos monstros e a única coisa em que pensamos é em beber... É no prazer. 
_Fale por você. Você não sabe nada de mim a não ser o meu nome. 
_Você é como todos os outros. 
_Não. Não me compare com seus amiguinhos nojentos... Eu não sou como eles. 
_Tanto faz_ revirou os olhos. 
_Você vai me contar onde é sim ou não?
Ele me olhou com um sorriso irônico no rosto... Aquilo estava me irritando. Pus a mão na minha espada, pronta pra puxá-la e arrancar a cabeça dele fora, mais ele começou a rir. 

_Não precisa disso, eu vou te contar. 
_Então fala logo. 
_Um posto de gasolina no final da estrada Blackride. Tem um lobisomem... Bob eu acho, ele fica lá direto. Sempre que alguém queria falar com a Trish ou o contrario era ele o intermediário. Se tem alguém que sabe onde achá-la... É ele. 
_Obrigada. 
_Não me agradeça. Não vai fazer diferença nenhuma pra mim se aquela vadia morrer... Ou você. 
_Eu sei... Obrigada mesmo assim. 

Dei as costas pra ele e segui em frente, não queria mais perder tempo. Quanto mas rápido eu acabasse com isso, mais rápido poderia morrer e não sentir mais essa dor insuportável em meu peito.

Narrado pela autora

Kevin andava impaciente pelo quarto, sentindo um vazio dentro peito e uma agonia que ia crescendo aos poucos... Nunca se sentira daquele jeito, nada era capaz de abalar seu bom humor, mais agora era diferente.

_O que vamos fazer com o corpo?_ Miley perguntou.
_Como é?_ Kevin olhou pra ela sem entender.
_Não podemos deixar ele aqui, temos de enterrá-lo_ explicou.
_Não_ fechou os olhos com força_ não posso fazer isso.
_Então talvez devêssemos cremá-lo.
_NÃO_ gritou irritado_ ninguém encosta nele.
_Kevin... _ Selena interrompeu_ Ela tem razão. Não sei qual são os costumes de vocês, o que fazem quando um dos seus morre mais... Não podemos deixá-lo apodrecer aqui... Temos de enterrá-lo. 
_Eu não sei o que fazer_ confessou.
_Talvez devesse contar ao seu pai_ Dani sugeriu. 
_Não... Ele não ta nem ai pro que acontece com nós dois. Se bobear deve dar pulos de alegria quando souber_ disse com desprezo. 
_Kevin... 
_Vamos cuidar disso sozinhos_ disse deixando as lágrimas descerem_ só preciso de um minuto pra pensar. Só um minuto_ suspirou. 
_Então fiquem ai e decidam o que fazer... Eu tenho que ir_ Selena disse. 
_Aonde pensa que vai?_ Nick perguntou. 
_Vou atrás da Demi... Ela precisa de mim.

Ela caminhou até a cama e sentou na beirada, segurando a mão fria de Joe entre as suas. 

_Eu vó trazê-la de volta_ sussurrou com a voz fraca_ Prometo a você que não vou deixar que nada aconteça com ela. Vou fazer aquilo que você morreu tentando... Protegê-la. 

Kevin virou o rosto pro lado, se sentindo completamente inútil. Como não fez nada pra impedir que isso acontecesse? Dani começou a chorar também e nem Nick conseguiu conter as lágrimas ao observar a cena. 

_Sinto muito por isso Joe_ forçou um sorriso_ Não era assim que eu esperava que terminasse. Ainda queria interromper muito você e a Demi com minhas ligações. Adorava ver como você ficava irritado... Era muito engraçado. Parecia realmente que eu adivinhava né? Sempre fui meio inconveniente_ deu de ombros.
Se mexeu na cama se sentindo estranha... Sentiria falta disso, as piadinhas dele, sua voz frustrada ao telefone toda vez que ela interrompia.

_Você foi um grande amigo... Mudou a vida de todos nós com esse seu jeito. No começo achei que a Demi era louca e não entendia porque gostava tanto de você_ respirou fundo_ Agora eu sei por que ela se apaixonou tão facilmente. Era impossível não se encantar com aquele seu jeito... Sua coragem... Se sorriso... Suas piadas. 

Daiana apertou a criança em seus braços, sentindo uma enorme agonia. Liam suspirou, não conhecia ele muito bem. Mais os poucos dias que estiveram juntos foram suficientes pra que aquilo doesse. 

_Você foi o melhor amigo que já tive_ deu um fraco sorriso_ E prometo a você que não deixarei que a Demi faça nenhuma besteira. Você não vai ter morrido em vão... Adeus amigo. 

Deu um beijo na mão dele e com um aperto no coração se levantou e encarou os rostos tristes a sua frente. Não precisou dizer mais nada... Apenas pegou uma espada e uma capa e saiu atrás de sua melhor amiga... Cumpriria a promessa que fez... Traria ela pra casa sã e salva.
Narrado pela Demi

Era uma longa corrida do metrô até o posto... Longa o suficiente pra que minha cabeça ficasse livre pra lembrar do que havia acontecido horas atrás. Toda vez que a imagem vinha a minha cabeça era como uma facada no meu coração, cada minuto ficava mais insuportável. Depois de alguns longos minutos cheguei aonde queria... O tal Boby estava sentado em uma cadeira na frente do posto, eu me lembrava dele... Era um dos guarda costas da Trish... Um dos homens que levou o Joe até a clareira na noite em que bebi seu sangue. Me aproximei dele sem me importar em ser cautelosa. 

_Você é o Boby?
_Demi? O que faz aqui?_ levantou meio assustado. 
_Onde ela ta? Onde é o esconderijo dela. 
_Não sei do que você ta falando. 
_Sabe sim... Não se faça de idiota. 
_E se eu não disser pra você?
_Vai dizer por bem ou por mal.

Ele me analisou por um instante... Tentando saber se eu estava ou não blefando. Ele estava me tirando do sério, não devia brincar comigo. 

_Olha... Eu realmente não estou com paciência pra isso. Me diz onde encontrá-la. 
_Não. Eu tenho mais o que fazer_ sorriu.

Ele me deu as costas e foi andando em outra direção, não me deixaria falando sozinha assim. Tava na hora de saber se meus poderes estavam cem por cento.
_Aonde pensa que vai?_ perguntei e ele parou de andar na hora... Garanto que não foi por vontade própria. 
_O que você ta fazendo?
_Você não vai a lugar algum até que me diga onde achá-la. 
_Vai ser assim é?
_É. Eu posso muito bem meter uma bala na sua cabeça ou você pode simplesmente colaborar. 
_Tudo bem... Eu falo. 
_Ótimo. Vai ser melhor pra todos assim. 
_Me solta primeiro. 
_Se você tentar fugir já era ouviu?
_Eu não vou. 
_Melhor mesmo. 

Então o liberei... Ele não era corajoso o suficiente pra tentar fugir.

_Tem uma casa na cidade. Toda vez que queríamos falar com ela eu ia até lá.
_Me leva até lá. 
_Não posso. 
_Pode sim... E vai fazer agora mesmo. 
_Mais... 
_Sem mais... Anda logo. 

Ele bufou irritado mais não tinha como discutir... Teria que me levar lá... Seria por bem ou por mal. Pra mim já não faria diferença, se eu tivesse que matá-lo faria sem pensar duas vezes. Só quem tinha a perder era ele mesmo.

2 comentários:

 

© Template Grátis por Cantinho do Blog. Quer um Exclusivo?Clique aqui e Encomende! - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré